COMPARTILHE:

Dicas de leituras para quarentena

Quer ler mais? Que tal algumas dicas de leituras para quarentena? Eu sei, eu sei, é uma nóia o tal afastamento social, eufemismo para um danado de um confinamento. Parece que somos gado aguardando o abate ou participantes do BBB. Mas, pensando por outro lado, adianta irritar e revoltar com o que é inevitável? Claro que não.

Vamos aproveitar o tempo, então. Carpe Diem, como diriam os antigos, ou até os mais jovens que já assistiram o filme “A Sociedade dos Poetas Mortos”, com Robin Williams, aquele ator superengraçado que não deveria ter morrido.

E, no quesito aproveitar o tempo, não há nada melhor do que por a leitura em dia, gente. E aí o truque é velho demais: leia o que gosta, ou aquilo que não conhece e quer conhecer. Nada de forçar a barra, que piora o stress. Por isso, se não gosta de filosofia e não quer conhecer, nada de Platão, ok? Se detesta gibi e prefere autores mais densos e sem superpoderes, nada de tentar acompanhar a saga dos Vingadores. Leia o que gosta, ou o que não conhece e tem curiosidade de experimentar.

Pronto. Dada esta primeira dica, vamos agora escolher dentre diversos tópicos e espécies interessantes de leitura que irão tornar sua quarentena mais tranquila, melhorar o seu astral e incrementar sua cultura. Vamos lá?

LEITURA CLÁSSICA

DOM QUIXOTE, de Miguel de Cervantes

Se você gosta dos clássicos e não tem medo de palavras difíceis, ou se quer conhece-los para não boiar nas resenhas da faculdade ou nas conversas de bar, você tem que ler DOM QUIXOTE, de Miguel de Cervantes: o primeiro livro moderno da literatura mundial, trata do cavaleiro da triste figura e é tudo aquilo que os modernos são: triste, engraçado, aventuresco, romântico. Enfim, Dom Quixote é o tipo do romance que todo mundo ouviu falar, mas quase ninguém leu de capa a capa a versão adulta da obra. Merece cada segundo da sua atenção. Você vai se divertir muito.

MOBY DICK, de Herman Mellvile

Ainda no quesito “clássicos”, um livro que vai te surpreender muito: Moby Dick, de Herman Mellvile. Você vai imergir em uma vida de marujo em um navio baleeiro, o Pequod, comandado por um capitão maluco obcecado em matar uma baleia gigante. Eu sei, você já viu animações e filmes e já leu gibis sobre a história – mas o livro vai te dar uma densidade que você não esperava em um dos romances mais famosos da idade moderna. E, de quebra, vai aprender lições imperdíveis sobre baleias, pesca e navegação, tudo sem sair da poltrona.

LEITURA CONTEMPORÂNEA

Bom. Tudo bem. Você não gosta de coisa muito antiga. Então vamos maratonar os grandes autores do presente, os romancistas de maior sucesso da atualidade? De cara, uma dica bacana quando o assunto é ficção: não compre e nem leia só porque o cara é famoso e vende muito livro. Isso é um chamariz, mas não o suficiente para fazer você perder tempo e dinheiro com a obra. Essa você tem que escolher conforme a temática.

CRÔNICAS SAXÔNICAS, de Bernard Cornwell

Vamos lá. Se você adora o gênero “capa e espada” e romance histórico, a dica que eu tenho pra lhe dar não é nenhum Dan Brown ou Umberto Eco. Já ouviu falar de Bernard Cornwell? O britânico é especialista em história medieval e romanceou todas aquelas lendas do Rei Arthur e as grandes batalhas (reais) da época em que Inglaterra e França lutavam pelo domínio da Europa ocidental. As guerras antigas são descritas com precisão e sem pudores por Cronwell, que disseca e põe alma nos esqueletos dos antigos personagens históricos e folclóricos que retrata. De Bernard Cornwell, não deixe de ler a trilogia arthuriana (fala do Rei Arthur), e os dez volumes das Crônicas Saxônicas, além do magistral “A Batalha de Agincourt”.

BONECO DE NEVE, de Jo Nesbo

Se quer romances mais modernos. Tenho dois caras pra te oferecer. Não esqueça o nome deles, combinado? O primeiro é o norueguês Jo Nesbo. Um livro dele (Boneco de Neve) virou filme, mas bobo demais diante da densidade narrativa de seus romances policiais, a maioria protagonizado pelo detetive alcoólatra e doidão Harry Hole. Leia qualquer um deles, tente respeitar a cronologia, porque os romances são independentes, mas se referem um ao outro. Meu preferido de Nesbo: O Leopardo.

A SOMBRA DO VENTO, de Pablo Ruiz Zafón

Outro cara que merece uma maratonada é Pablo Ruiz Zafón, o escritor espanhol mais lido deste século. O primeiro de seus romances é a Sombra do Vento, simplesmente inesquecível. Sua delicadeza verbal relembra Saramago, porém sem perder o fio narrativo de thriller de suspense entremeado com belas histórias de amor, que você vai conhecer nos demais livros de Zafón, todos recém editados no Brasil. Em uma palavra: soberbo.

LEITURAS BIOGRÁFICAS

CHEGA DE SAUDADE, de Ruy Castro

Ah! Você não gosta de ficção? Melhorou. Nosso mercado editorial é mais rico em lançamentos e mesmo em livros já consagrados que poderão te oferecer hora cultas de prazer intenso. Gosta de biografias? Não perca, por nada desse mundo, as obras do brasileiro Ruy Castro: em Chega de Saudade, ele traça a história da Bossa Nova de Tom e Vinícius e do Rio de Janeiro daqueles tempos doces que não voltam mais.

Outras grandes obras também de Ruy Castro.

ANJO PORNOGRÁFICO, de Ruy Castro

No Anjo Pornográfico, Ruy recria o cenário do surgimento de um dos maiores gênios de nosso jornalismo e teatro: o polêmico Nelson Rodrigues.

ESTRELA SOLITÁRIA, de Ruy Castro

Em “Estrela Solitária” você vai mergulhar no submundo do futebol e na glória e nas mágoas de um de seus mais lendários e folclóricos representantes: Mané Garrincha.

O MAGO, de Fernando Moraes

Ainda no gênero biografia, Fernando Moraes é o cara, com dois livros deliciosos: o Mago, a trajetória do best-seller brasileiro Paulo Coelho, melhor do que os livros deste próprio (na modesta opinião de muita gente) e Olga, que virou filme, virou série, virou lenda, a história de espiã soviética que se casou com o líder de esquerda brasileiro Luís Carlos Prestes. Linda história de amor, com o Estado Novo de Getúlio Vargas como pano de fundo.

LEITURA FILOSÓFICA

Se o seu negócio é filosofia política moderna, então dê uma passeada pelos nossos novos autores. “Novos” é modo de dizer, tem até setentão na parada, mas com as mídias sociais e o Youtube, os caras viraram moda e disseminam seu pensamento pelo mundo virtual tanto quanto pelas páginas impressas de suas obras, onde espalham a cultura do pensamento que cultivam conforme o viés ideológico de cada um.

É claro, estou falando de Mário Sérgio Cortella, Leandro Karnal, Reynaldo Azevedo, Luis Felipe Pondé e, ele não poderia faltar, Olavo de Carvalho. Se você é mais a direita ou mais a esquerda do pensamento político, seja qual for sua cor partidária, um desses caras vai lhe servir como luva para iluminar os meandros do poder e apontar as soluções para os problemas políticos do Brasil e do mundo.

Estes autores são, todos, sem exceção, extremamente eruditos, mas escrevem com simplicidade jornalística e são até mesmo divertidos e bem-humorados. Há uma qualidade marcante neste tipo de obra: não há necessidade de respeitar cronologia histórica ou a ordem dos lançamentos dos livros de cada autor no mercado editorial. Seus livros são independentes – e todos muito bons.

 

Então, o que achou das nossas dicas de leituras para quarentena? Espero que faça bom proveito. Faça como meus avós diziam: faça do limão uma limonada. Aproveite este tempo parado, chato, de atenção e de cuidado, em um deleite para o seu conhecimento e para passar o tempo com entretenimento de qualidade.

COMPARTILHE:

Qual a origem do nome das estações do ano?

E a primavera chegou, estação das flores que sempre carrega consigo a sensação de um novo tempo, de algo bom no ar. Você já se perguntou por que essa estação tem esse nome? Bora descobrir? História das estações do ano No passado, o ano era dividido em veris (bom tempo, estação da floração) e hiems […]

EAD – De tendência à necessidade mundial

O Ensino à Distância (ou EAD) já era uma tendência mundial antes da pandemia da COVID 19.  Parece que este grande problema mundial acordou alguns povos e nações, que ainda não haviam se preocupado com a modalidade de ensino não presencial, já em voga em diversos países europeus há pelo menos uma década. Com a […]

Ensino à distância vencendo barreiras

O Ensino a Distância é uma alternativa de ensino que as pessoas têm encontrado para adquirir seu diploma e para conciliar tempo e horários a limitações em época de pandemia e de quarentena. O público alvo do EAD é de pessoas que precisam fazer o tempo virar dinheiro ou o dinheiro virar tempo, aprendendo em […]

O que é a comunicação não verbal

“Eu falei normal, você que entendeu com raiva…” Quantas vezes agente se depara com essa situação no nosso dia a dia, né!? Quando o diálogo é pelo whatsapp então, costuma ser ainda mais difícil se fazer entender… e como temos usado essa ferramenta ultimamente, não é mesmo? Mas porque é tão comum esse tipo de […]



Dicas de leituras para quarentena

Quer ler mais? Que tal algumas dicas de leituras para quarentena? Eu sei, eu sei, é uma nóia o tal afastamento social, eufemismo para um danado de um confinamento. Parece que somos gado aguardando o abate ou participantes do BBB. Mas, pensando por outro lado, adianta irritar e revoltar com o que é inevitável? Claro […]

Breves dicas de português

Onde ou Aonde? Muita gente boa confunde “onde” com “aonde”. Na imprensa e em livros, sites badalados e jornalistas sérios e famosos cometem esse equívoco. Onde exprimirá sempre lugar físico, Aonde a movimento ou ao local em que se quer chegar: Exemplos: Onde fica o restaurante? Aonde buscar a solução para a crise financeira? Falsos […]

Ensino Filosófico

Por décadas os estudantes brasileiros foram enganados com placebos ideológicos ministrados em cursos de Filosofia, Ciências Políticas e Sociologia nas grandes universidades brasileiras, de tal sorte que não formamos filósofos ou sociólogos, mas militantes e sindicalistas. Nada contra esses caras, mas não precisam de bacharelado pra essa atividade e, se acaso necessária, seu estudo acadêmico […]

CRIMINOSOS DE ESTIMAÇÃO

O italiano Cesare Battisti matou quatro em nome de sua causa comunista e foi condenado em um processo limpo. Refugiou-se no Brasil, único país do mundo que teimou em considera-lo um perseguido político, ao invés do terrorista que sempre foi. É claro que por aqui muita gente também considera Lula um preso político. Essa politização […]

Ir para o Topo